Sobre recomeços e afins

Recria tua vida, sempre, sempre.

Remove pedras e planta roseiras e faz doces.

Recomeça.

Queria começar assim este 2019. Com algo inspirador como o palavreado de Cora Coralina. Confesso que não é fácil diante das circunstâncias atuais a que todos nós, independentemente da idade, estamos submetidos.

Mas o universo também pode conspirar a favor e, de vez em quando, recebemos de braços abertos aqueles pequenos sinais que nos enchem de esperança…

Coisinhas miúdas, que passam despercebidas diante da avalanche de afazeres na volta à rotina.

Faz dias que tenho pensado num tema para abrir essa Casa neste novo ano. Muitos assuntos vêm à cabeça, é claro. Aliás, tenho levantado de madrugada para anotar os pensamentos porque de manhã eles se foram.

Graças a Deus os pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro comprovaram que a Irisina, o hormônio do exercício, realmente protege contra o Alzheimer. Mas porque eu estava falando disso mesmo?

Brincadeira à parte, esse é um assunto extremamente importante. Embora eu tenha deixado para depois, vale sim uma apuração mais precisa.

Outra notícia inspiradora é a abertura das inscrições para as oficinas da Universidade Aberta da Terceira Idade da Universidade de São Paulo. Todo semestre tem um monte de curso bacana por lá. Já viram?

Novidade ainda é o começo da minha colaboração para Dominique.  Um projeto bárbaro para mulheres de 50 plenas e inspiradoras, que mostram na prática o poder da maturidade.

No fim das contas, e além das preocupações corriqueiras, temos aí um ano inteirinho para dividir as nossas angústias, debater novidades e buscar as soluções. Mas o tempo corre tão rápido, não é mesmo! Quando menos se espera, cá estamos pensando no recesso de final de ano outra vez.

E não é que já se passaram 365 dias do meu recomeço como cuidadora de pais e da minha mudança, de volta para a Casa de Mãe, o embrião desse canal…

Muita coisa rolou, mas estar aqui dividindo tudo com vocês é uma das melhores partes. Me ajuda muito a superar as dificuldades. Por isso, nada como um pequeno balanço das coisas que ficaram para trás e das coisas que gostaria de priorizar na lista de ano novo.

Depois de abandonar a minha vida em São Paulo, que sempre foi meu porto seguro, tive de aprender a deixar pra trás a cobrança em ser perfeita em todas as  áreas. Não se pode ter tudo. Não numa única existência!

Acho que o lance é rir mais de si e levar as mudanças com mais leveza. Na boa, aflições vão e vêm.

A vida não pode ser traçada numa planilha e as resoluções consideradas metas que precisam ser batidas.  É preciso reconhecer que a gente é o que é: seres imperfeitos, que mudam sim de opinião. Sem carregar culpa.

Às vezes a gente se transforma aos pouquinhos. Devagar mesmo! E sou dessas que gosta de comemorar cada pequena mudança, cada pequena conquista. Afinal, creio que viemos a este mundo para evoluir.

É por isso que não vejo problemas em repetir algumas resoluções todo ano. Sou brasileira e não desisto nunca! No final todo mundo quer é a mesma coisa: ser feliz…

Então veja minha listinha, seus níveis de dificuldades e inspire-se. E não se cobre tanto! Se não der pra fazer tudo logo logo 2020 pinta por aí!  Com um monte de novos desafios para fazer a gente crescer mais um tantinho.

1.     Perder peso. SEMPRE

2.     Comer, beber ou aprender algo novo. FÁCIL

3.     Guardar dinheiro. NUNCA SAI DA LISTA

4.    Ser feliz mesmo sem guardar dinheiro MUITO POSSÍVEL

5.     Definir uma meta atlética acessível como uma meia-maratona internacional ou aprender a nadar no mar. DESAFIADOR

6.    Apaixonar-me. DIFÍCIL, MAS NÃO IMPOSSÍVEL

7.     Ler mais. FÁCIL

8.    Beber menos. MUITO DIFÍCIL

9.    Ter mais paciência com as pessoas, principalmente com meus pais. SERÁ QUE UM DIA CONSIGO?

10. E, finalmente, não se levar muito a sério e recomeçar ( E RECOMEÇAR) quantas vezes forem necessárias!!!!

Author: Rachel Cardoso

Sou jornalista e filha única. Aficionada por Esporte e Saúde. Em mais de 20 anos de carreira fiz reportagens sobre diversos temas. Atualmente, colaboro com diversos canais digitais, todos ligados a temas deste Brasil Sênior. Também sou sócia-diretora na Tot Conteúdo Digital. Graças a esse histórico, pude mudar a direção da minha vida e estar perto dos meus pais para acompanhar o processo de envelhecimento deles. Esse blog é consequência disso. Escrever é uma paixão!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *